Depois de umas mini-férias, a cultura meus amigos!

Pois é, tive umas mini-férias a trabalhar por esse Portugal tão "bónito" fora mas ainda assim tive oportunidade de comprar duas obras primas de renome. Ora vejam:
Um grande filme, recomendo vivamente!
 
Depois ainda uma versão portuguesa do Quadro "O menino que chora"!
P.S. Deixo aqui a minha homenagem ao cantor português Beto que, infelizmente, faleceu este Domingo vitima de um AVC, aqui!
11 Responses
  1. também gostava de ler um exemplar destes!!!

    será que na livraria do Parlamento tem?, pois não deve haver em mais lado nenhum à venda!!!


  2. Anónimo Says:

    ahahahahahahhah já tinahmos saudades destas brilhantes montagens, muito bom!


  3. Quero um quadro desses na minha oficina de bonecos do Chukie e do Freddy Kruger.
    abraço

    obs: que filme de terror!


  4. Gil Says:

    Post brutal!


  5. Tia Says:

    Ui... esse quadro na minha sala... dentro da lareira :-)

    Fantástico post. Bj


  6. Novidades, hein Casemiro? O blog agora está "instalado" em uma sala elegante, inclusive, com um bonito e, suponho, confortável sofá para os visitantes. Mas o mais importante mesmo é que a sua língua continua imperdoável com a galera do eixo do mal. É isso mesmo, político bom é aquele que ainda não nasceu, portanto, pau neles!
    Vida longa aos plásticos!
    Um abraço!


  7. gui.tattoo Says:

    Pena é que esta tanga política não seja uma realidade só enquanto estives-te de férias...
    Espero que tenhas recarregado bem as baterias, porque a luta continua meu amigo.

    Grande abraço e continuação de bom trabalho ;)


  8. Brilhante, essa do quadro do menino que chora.


  9. Gostei particularmente do "O menino que chora" (não será o menino da lágrima?). Está com uma cara mesmo "Fofinha". :)

    Bem, eu só soube ontem da morte dele. Enfim...
    Beijo


  10. XS Says:

    Não aguento...o menino que chora está de morrer a rir!!!!


  11. Kok Says:

    Ao Beto que gosto de ouvir cantar, e que deixa uma pena imensa.
    Não será esquecido e enquanto assim for, manter-se-á vivo.

    Estes políticos cada vez mais me fazem lembrar um mar revolto: enjoam-me!